Autor Tópico: O Conhecimento Sagrado (Cont.)  (Lida 2425 vezes)

Offline Susana

  • Jr. Member
  • **
  • Mensagens: 81
  • Karma: +1/-0
O Conhecimento Sagrado (Cont.)
« em: Abril 17, 2008, 21:43:07 pm »
O Conhecimento Sagrado - continua, com a apresentação de mais 2 tipos de energia: A energia que nutre (O Espiríto Santo) e a energia Curadora (que o autor chama, energia do espaço).

A Energia do Espírito Santo

O Espírito Santo é o segundo tipo de energia em importância que foi criado pelo campo único, de acordo com o desejo do criador. Esta energia, como a de Cristo, está espalhada por todo o universo. É responsável por manter a energia global das estruturas do universo. Ao mesmo tempo a sua tarefa é criar a matéria inanimada. Esta energia é importante para a espécie humana por que suporta a onda de vida na sua luta para criar seres vivos, dando vida à matéria inanimada.

A Energia do Espaço

É o 3º e o maior grupo de energias criadas pelo campo de energia. As actividades são diferentes, em diferentes partes do universo. As operações são coordenadas com as necessidades de um particular espaço dentro do universo. É diferente em espaços diferentes e na matéria inanimada e animada. No que diz respeito aos humanos, a energia do espaço ajuda-os a aliviar ou limpar certas situações de conflitos que as pessoas têm em relação à natureza, ao meio, isto é, com o ar, o solo, a comida, as energias à volta. É por isso que é curadora, desenvolve, e rejuvenesce e ajuda o homem a cumprir as tarefas dadas pelo criador.


Apresento a seguir o índice de todos os capítulos que compõem o livro:

Cataclismos cósmicos
A emergência dos seres vivos
O desenvolvimento do campo único
As mudanças dentro do ser do criador
A importância de interconexão das energias
As origens da matéria inanimada
Como o criador fez o universo
O desenvolvimento de protecção contra o disfuncional no universo
O desenvolvimento futuro do universo
O Ser Tríade do criador
Decomposição da matéria
O processo de criar energias
A criação das energias inteligentes
Erros de concepção do universo
Energia limite
Energia inter - espaço
Energia em fragmentos
Matéria adicional para o conhecimento sagrado
O corpo luminoso
O núcleo de energia amarela
A iluminação
Locais de poder
O universo num bilião de anos
Seres vivos não materiais
Seres não materiais e humanos
Contacto com os seres vivos não materiais
A criação dos seres vivos materiais
A energia conectiva número 1
A energia conectiva número 2
A energia conectiva número 3
A sincronização definitiva das operações no universo
O desenvolvimento independente do universo
Como imaginar o universo
Há energias destrutivas dentro do universo
Os novos elementos do universo
Os contactos inapropriados com o universo
A assistência do universo
A energia do espaço
A energia do vento e do fogo
A energia conectiva número 4
O universo é a extensão dos conteúdos do criador
A onda de luz
O universo é feixe de energias
O estacionário campo de energia
As fontes de energia das energias criativas
A importância das energias criativas
A assistência das fontes de energia
O diagnostico das fontes de energia do universo
O número aproximado  de energias infinitas no universo
O criador muda, também
Um numero de energias dentro do mesmo espaço
A assistência do universo na melhoria das condições climáticas
A assistência do criador no futuro
A verdade acerca do universo
A energia vermelha
O programa para corrigir energia
As capacidades curativas do campo único
O campo de energia, o relógio do universo
A energia conectiva número 5
O universo opera de modo similar aos seres vivos
A energia de sincronia
As maiores capacidades humanas
A forma correcta de ser apresentado ao universo
A energia sinusóide
A criação do potencial de energias criativas
As vantagens da vontade livre
As desvantagens da livre arbítrio – os pensamentos negativos
Os pensamentos negativos dos humanos representam um perigo para a aura do planeta
Está o fim do mundo predestinado
Os programas de desenvolver energia
A inteligência da matéria
A inteligência dos seres vivos materiais
A criação do universo parece um terreno para construções
A tarefa da energia do universo
Das más concepções acerca do universo, à assistência do universo
Os aspectos da possível cooperação entre pessoas, entre os seres materiais e não materiais (seres super – inteligentes) do universo
O controlo das energias
Elevar as energias – a oferta do universo às pessoas
O programa de seleccionar energias
As energias curativas do universo
O que modifica as pessoas é o contacto com as energias do universo
Ser apresentado às energias – a forma como a humanidade se deve desenvolver
Em jeito de conclusão
O caminho para a iluminação: a meditação.


O cataclismo cósmico

Ao criar o cosmos, o criador realizou a unidade de espírito, energias e matéria. Contudo houve períodos no desenvolvimento do universo, especialmente durante a 1/3 da sua existência, quando os elementos mencionados acima não estavam perfeitamente sincronizados. Existiram horrendos cataclismos cósmicos que destruíram tudo o que tinha sido criado durante centenas de biliões de anos. Estes cataclismos ocorreram por que certos elementos desviaram-se das suas tarefas ou objectivos. Depois, especial atenção foi dada ao papel trabalhadores pela manutenção universal, isto é, corpos luminosos, que não só removem os desvios, mas também tomam conta cuidam de certos sectores do universo para que não haja aberração.


Quando apareceu o 1º ser vivo no universo?

Algures ao 1/3 da idade do universo, a energia de Cristo conjuntamente com a energia do Espírito Santo criaram o 1º material de seres vivos. Eles foram criados em certas áreas do universo que tinham as melhores condições para o seu desenvolvimento. Estes seres eram muito importantes estruturas primitivas, mas eles podiam multiplicar-se e até certo ponto ajustar-se a novas situações, a partir das quais se desenvolviam gradualmente.

O desenvolvimento do campo único

Depois de ter criado uma energia após outra, o criador estava completo e o funcionamento do universo ilimitado mais complexo. Contudo, durante o 1/3 da vida do universo, uma certa resistência surgiu, para a criação do universo como a conhecemos hoje. Isto aconteceu devido à inércia de certos campos de energia que eram parte do criador. A inércia e a aspiração a ficar no mesmo estado existencial, criou certas dificuldades neste período. Por isso o criador desenhou o campo único que em 1º lugar teve a tarefa de completamente controlar a ascensão, funcionamento, e a estabilizar as novas energias em todo o universo.

A importância das inter - conexões das energias

Estas conexões existiram durante algum tempo dentro do ser do criador. Depois, foram criadas correntes de energia, com formas de rios, estes feixes de energia interconectam certas estruturas de energia dentro do universo. Mais tarde o campo único tomou a cargo o campo das energias mútuas e todas as energias universais entram e saem dele. É por isso que o papel do campo único é incomparavelmente maior do que a parte que diz respeito à criação de certas energias. Por causa da fusão e sincronização do trabalho de todas as estruturas de energia, independentemente do tamanho. Ao desenhar o campo único, o criador gradualmente ajustou o seu papel e harmonizou – o, com o desenvolvimento dos conteúdos do universo. Desde então o campo único tem tido o mesmo papel de criar novas energias de médio e pequeno tamanho, por que as grandes já tinham sido criadas há muito tempo.

Ao que parece pela leitura, o nosso universo corresponde ao Campo Único.

As origens da matéria inanimada

Existiu uma questão no desenvolvimento do universo que era motivo de preocupação para o criador. Tinha a ver com a expansão espontânea dos campos em toda a sua dimensão e intensidade.
A matéria sólida foi criada sob a influencia de energia de condensação, no inicio a matéria sólida tinha a forma de partículas materiais que eram mais pequenas do que as mais pequenas partículas conhecidas hoje.

Por que fez o criador o universo?

A fase inicial da criação do universo foi lenta e com falta de sistematização. Foi assim devido à sua vastidão. Depois, aproximadamente 1/3 da sua existência, o criador conseguiu conectar as energias, sistematizar e sincronizar. A próxima coisa que ele fez foi criar uma linha de subsistemas dentro das vastas energias.
Estes subsistemas geraram outros novos, completamente independentes, assim construindo um network sem limites.

O Criador não estava a brincar na sua mente, como foi mal interpretado por algumas fontes antigas. A sua intenção foi criar os conteúdos de potenciais que sempre existiram dentro dele, ou novos que emergiram pela pressão dos anteriores. Ele sentiu a necessidade de actualizar estes potenciais, tal como uma mulher prestes a dar a luz. Era seu desejo e não podia evitar. Sentimentos maravilhosos deram origem ao universo.

O desenvolvimento da protecção contra o disfuncionamento no universo

O universo foi criado, como o resultado da vontade do criador. Contudo devido ao infinito nº de conteúdos incorporados nele, não é possível que permaneça sempre a funcionar bem. No princípio o criador removeu certas disfunções no universo agindo directamente sobre estas problemáticas. Após ½ da existência do universo o criador abandonou o sistema da manutenção e criou certas formas de sistemas de energias, preciosas, que super – inteligentes, eram capazes de resolver qualquer problema no universo.

(e aqui entramos nós, quando atingimos a maturidade do corpo luminoso, por outras palavras, atingimos o nirvana e mais além, somos as energias super - inteligentes que ajudam a manter o universo em equilibrio)


A terceira condição que estas energias tinham que ter era a sua duração eterna.

A fase inicial quando estas energias foram criadas foi muito problemático. Isto foi assim por que elas supostamente foram criadas como concentrados de conhecimento e inteligência de um grande nº de energias e contudo elas tinham que ser indestrutíveis e eternas. Não existiam muitas destas energias perfeitas e elas estavam a fazer o seu trabalho de modo perfeito, mas devido ao seu nº insuficiente, elas não podiam fazer o seu trabalho reparador a tempo. Foi por isso que grandes perturbações ocorreram em certas regiões do universo. Em ordem a eliminar esta falta, o criador deu a tarefa de criar estas energias preciosas aos 1º seres que não tinham corpo material (Anjos). O problema ocorreu novamente, devido à lenta formação e desenvolvimento destas energias preciosas, porque de todos estes seres serem super - inteligentes, não tinham livre vontade, então a sua criatividade era muito lenta.
Quando os seres de livre vontade foram introduzidos (nós, os homens), e eles eram exclusivamente materialistas na sua natureza, uma grande REVOLUÇÃO OCORREU NO QUE DIZ RESPEITO Á VELOCIDADE DE PRODUZIR ESTA ENERGIA. Isso foi a solução definitiva para a resolução do problema de criar corpos luminosos.

Nós, ao que parece através da dor (Maya, a matéria) evoluímos muito rápidamente, quem diria... isto em comparação à vastidão do funcionamento das outras energias no universo. Realmente era importante que mais alguém pudesse ler este livro para confronto e esclarecimento de ideias, eu penso ter lido correctamente, mas são tantos milénios a pensar que não valemos nada... que já não sei!

Continua, é muito interessante.